Webmail
Acesso à Informação
Ouvidoria
Funcionamento: 08:00 às 12:00 | 13:30 às 17:30
(45) 3255-8000

Informações COVID-19

Esta página concentra as informações oficiais emitidas pelo Município de São Pedro do Iguaçu a respeito da pandemia do novo Coronavirus (Covid-19), como atos normativos, aquisições e boletins informativos. Maiores informações podem ser obtidas pelos meios de contato constantes no rodapé da página.


Prestação de Contas

       Receitas

       Compras Diretas

       Licitações

       Contratos

       Empenhos


Legislação


Processos Licitatórios na íntegra 


Processos Seletivos


Boletins Informativos


Telefones das Unidades Básicas de Saúde


Escala de Fiscalização do Mês de Julho


NÃO COMPARTILHE FAKE NEWS.

PROCURE SEMPRE OS CANAIS OFICIAIS E CONFIRME SUA DÚVIDA.


O que é o novo Coronavírus?

O novo coronavírus faz parte de uma grande família viral que causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Em janeiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) notificou casos de pneumonia de causa desconhecida, ocorridos na cidade de Wuhan, na região central da China, onde houve a detecção de um novo coronavírus. O novo coronavírus causa doença respiratória denominadade COVID-19. Na maior parte dos casos, a doença é leve a moderada, semelhante a uma gripe. Alguns casos podem ser mais graves, podendo evoluir para óbito, principalmente em idosos e pessoas com doenças pré-existentes.


Quais os sintomas da doença?

Febre, tosse, dor de garganta, dores no corpo, cansaço, coriza, congestão nasal e eventualmente diarreia. Na evolução para formas mais graves pode ocorrer falta de ar, dificuldade para respirar, cansaço, lábios ou dedos arroxeados.


Atenção! Pacientes com alguma doença crônica podem ter um risco maior de quadros mais graves, especialmente se tiver doenças cardíacas ou respiratórias descompensadas ou mal controladas. Hipertensão, doenças renais crônicas em estágio avançado (graus 3, 4 e 5) ou em diálise, pacientes com imunossupressão (uso de imunossupressores, quimioterapia/radioterapia transplantados, doenças que causam imunodeficiência, etc.), portadores de doenças cromossômicas e com estados de fragilidade imunológica (ex.: Síndrome de Down), diabetes (conforme juízo clínico), gestante de alto risco.


Em caso de apresentação de sintomas, entre em contato com a Unidade Básica de Saúde mais próxima.


Ao procurar atendimento médico, é recomendável utilizar máscara comum no trajeto. Caso não possua máscara, é importante seguir as recomendações de etiqueta respiratória (cobrir a boca e o nariz durante a tosse e espirros com lenços de papel ou cotovelo flexionado, seguido de higiene das mãos), e assim que chegar no serviço de saúde, solicitar uma máscara comum.


Como é transmitido o coronavírus?

A transmissão se dá pelo contato com secreções contaminadas provenientes de espirro, tosse, gotículas de saliva, catarro, contato próximo com a pessoa infectada (como toque ou aperto de mão), contato com objetos ou superfícies contaminadas seguido de contato com boca, nariz ou olhos.


É preciso tomar cuidado com espirros e tosse?

Sim. A etiqueta respiratória deve ser praticada por todos: Cobrir a boca e o nariz durante a tosse e espirros usando máscara comum, lenços de papel ou cotovelo flexionado, seguido de higiene das mãos.


Quais a medidas de prevenção?

–Ao tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com o cotovelo flexionado ou com lenço descartável. Evite usar as mãos e se usá-las lembre-se de lavá-las com água e sabão. Se usar um lenço, jogue-o fora imediatamente e lave as mãos;

–Utilize lenço descartável para limpar o nariz;

–Evite tocar os olhos, nariz e boca;

–Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos, escovas de dente.

–Lave as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou use álcool gel;

–Não realize deslocamentos e viagens enquanto estiver doente;

–Evite locais com aglomeração de pessoas.


Quem faz parte do grupo de risco?

Ainda estamos aprendendo sobre como o COVID-19 afeta as pessoas, mas idosos (pessoas com mais de 60 anos)  e pacientes com alguma doença crônica podem apresentar um risco maior de desenvolverem quadros mais graves, especialmente se tiverem doenças cardíacas ou respiratórias descompensadas ou mal controladas, hipertensão, doenças renais crônicas emestágio avançado (graus 3, 4 e 5) ou em diálise, imunossupressão (uso de imunossupressores, quimioterapia/radioterapia transplantados, doenças que causam imunodeficiência, etc), doenças cromossômicas e com estados de fragilidade imunológica (ex.: Síndrome de Down), diabetes (conforme juízo clínico) e gestação de alto risco.


Quanto tempo esse vírus permanece fora do corpo? Pode pegar esse vírus mais de uma vez?

Existem estudos demonstrando que o SARSCov2 pode permanecer viável por várias horas em superfícies onde não há limpeza e desinfecção apropriada (p.ex. 4-5 horas a depender do tipo de superfície ou artigo contaminado). A possibilidade de reinfecção ainda permanece em estudo.


O que é isolamento domiciliar?

Toda pessoa com sintomas respiratórios, suspeita ou confirmada para COVID-19, que não precisar ficar internada, deve permanecer em isolamento domiciliar por 14 dias a partir do início dos sintomas, assim como os contatos intra-domiciliares, mesmo que assintomáticos.



Atualizado em: 03/07/2020 10:00h